Marcelo Fronckowiak queria seguir no Canoas

Não contamos mais com o auxiliar técnico da seleção brasileira no comando do Vôlei Canoas. Ontem, via página oficial no Facebook, o clube anunciou a saída de Marcelo Fronckowiak, após duas temporadas de conquistas e diversos atletas que despontaram para o cenário nacional. O Canoas alega que a única motivação para a saída do profissional é financeira, já que houve corte no orçamento. Já o treinador se diz chateado, pois gostaria de permanecer.

“Abrimos a semana comunicando a saída do técnico Marcelo Fronckowiak. O Vôlei Canoas foi a equipe que abriu as portas para o retorno do treinador ao voleibol brasileiro, em 2015, e foi daqui que Fronckowiak foi convocado para ser auxiliar técnico da Seleção Brasileira”, diz o comunicado no Facebook. “Hoje este ciclo está oficialmente encerrado. Agradecemos ao Marcelo pelos dois anos de trabalho frente à equipe e desejamos sucesso na sequência de sua carreira”, segue a nota.

SUBSTITUTO – No mesmo post na rede social, o Vôlei Canoas alerta os torcedores de que o nome do substituto deve ser anunciado em breve. “E fique ligado, torcedor! Ainda esta semana teremos mais novidades, com o anúncio do novo comandante, comissão técnica e novos reforços, tanto dentro como fora de quadra”.

Supervisor do Vôlei Canoas, o campeão olímpico Gustavo Endres adianta que o nome do novo treinador já vem sendo estudado e que o mesmo deverá se adequar à nova realidade do clube. “Ele têm de estar disposto a trabalhar com jovens e querer crescer na carreira por aqui”, destaca.

Endres fala em redução do orçamento

Segundo Gustavo Endres (foto), a saída de Fronckowiak tem só uma motivação: financeira. “Tivemos redução de 30% no orçamento em relação à temporada passada e, devido ao fato de ele ter se valorizado, com a chegada à seleção, ficou fora da nossa realidade”, comenta o gestor.

O investimento total para a temporada caiu de R$ 2 milhões para R$ 1,2 milhão. “Mesmo se ele mantivesse o salário, não teríamos como manter. Vamos tentar aumentar o orçamento durante este período de montagem do grupo”, acrescenta Endres.

O supervisor acredita que, até o final da semana, um novo treinador já esteja acertado com o clube. “Temos alguns nomes sendo estudados, mas nada concreto”, afirma. Só depois disso começará a formação do elenco. O certo é que, daqueles jogadores que estavam na temporada passada, só dois devem continuar: o líbero Pallotti e o central Maurício.

Entrevista MARCELO FRONCKOWIAK

Ex-técnico do Vôlei Canoas

Como recebeste a notícia da demissão? 

Marcelo Fronckowiak – Estou chateado. Gostaria de continuar. Recebi uma série de propostas de outras equipes e não aceitei para tentar ficar.

Foste pego de surpresa? 

Fronckowiak – Não gostei do comunicado do clube. Ele não deixa claro que a decisão foi unilateral. Eu queria permanecer. Se a questão foi financeira, deveriam ter pelo menos feito uma proposta. Já trabalhei por valores baixos.

Como avalia tua passagem pelo clube?

Fronckowiak – O Canoas tem um papel importante no resgate do vôlei profissional no Rio Grande do Sul. Conseguimos resultados frustrantes, na primeira temporada, e importantes, na última. Tínhamos um elenco mais forte em 2016, que não obteve a classificação aos playoffs. Já este ano, com jovens, fomos mais longe.

O que fica de bom? 

Fronckowiak – A imagem que fica é positiva. Mantivemos a hegemonia dentro do Estado com dois títulos gaúchos e chegamos onde poderíamos chegar na Superliga. Mas, a maior marca que deixo, é a revelação de talentos importantes para o vôlei.

Pretende continuar treinando algum clube? 

Fronckowiak – Vou conversar com o Renan (Dal Zotto, técnico da seleção). Meu pai tem um problema de saúde, então pretendo seguir no Estado.

Como está sendo a experiência na seleção? 

Fronckowiak – É uma responsabilidade grande substituir uma geração que tinha Bernardinho. Está sendo muito legal.

Quem saiu do Canoas

Alemão (oposto) – Sada Cruzeiro (MG)

Alison Bastos (ponta) – Maringá Vôlei (PR)

Alisson Melo (ponta) – Emma Villas/ITA

Evandro (levantador) – Sesi (SP)

Gabriel (ponta) – Ribeirão Preto (SP)

Giovanni (central) – Ribeirão Preto (SP)

Ialisson (central) – Maringá (PR)

Thales (líbero) – Taubaté (SP)

Thomaz (oposto) – Pallavolo Massa/ITA

Foto: Paulo Pires | Diário de Canoas | Arquivo

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *