Segunda derrota seguida

O Bento Vôlei encarou um dos principais desafios da Superliga 2016/2017 e apresentou um ótimo desempenho dentro de quadra. Atuando na capital paulista, o clube da serra não conseguiu superar o Sesi, recheado de campeões olímpicos e acabou sofrendo 3×1 no marcador, apesar do resultado adverso o Bento teve excelentes momentos no confronto, principalmente no bloqueio. A partida, válida pela 15ª rodada da Superliga, ocorreu no Ginásio Vila Leopoldina. O clube gaúcho volta a quadra no dia oito de fevereiro, contra o Taubaté, novamente no estado de São Paulo.

O confronto começou levemente melhor para o Sesi. No início do primeiro set, na qualidade dos campeões olímpicos, os paulistas conseguiram abrir vantagem no marcador que logo foi igualada pela determinação e força do Bloqueio do Bento Vôlei. A partir do décimo ponto, o grupo gaúcho se encontrou na partida e começou a controlar a parcial. O Bento manteve o alto nível e de forma espetacular fechou o set por 25×21. O segundo set começou mais acirrado. Porém, o Sesi abriu diferença e finalizou por 25×17. No terceiro set, o mais disputado do confronto, as duas equipes mantiveram a disputa até o fim, porém o time de São Paulo, após um lance polêmico, conseguiu fechar por 25×23. O quarto set, também com lances duvidosos, o time paulista assumiu o placar no fim e venceu o set por 25×19 e o jogo.

“Um jogo difícil contra um dos líderes do campeonato, mas a nossa equipe se comportou muito bem. O ponto positivo foi a atitude da equipe de jogar de igual para igual com um time que tem uma super estrutura. Um dos pontos negativos foi a arbitragem onde todas as bolas duvidosas eram pró SESI. Outro ponto negativo foi a atitude do campeão olímpico Serginho, que debochou e riu o tempo inteiro, admiro ele muito como atleta, mas a atitude dele totalmente anti desportiva, a arbitragem teve medo de apitar as bolas do Serginho e do Bruninho e o Serginho tomou conta. Ele vinha até a rede e provocava nossos atletas e falava o tempo inteiro tanto para mim quanto para o time inteiro, ria quando os jogadores erravam. E ainda falar da arbitragem que deixou, eles tem medo de enfrenta-los, teve dois pesos e duas medidas, onde o árbitro de baixo via e avisava e o de cima fingia que não via, sendo ele passou o jogo todo fazendo isso. Sou amigo do Serginho, admiro ele, mas como atitude de jogador hoje foi completamente fora dos padrões de uma seleção, de um voleibol brasileiro que é campeão olímpico, então a minha repudia e minha tristeza com a atitude de um cara tão marcante para o voleibol nacional. Um pecado hoje foi a arbitragem não conseguir acompanhar o nível do voleibol brasileiro”, citou o técnico da equipe, Paulão.

Com o resultado , os gaúchos ficam na nona colocação, com 15 pontos na tabela, dois pontos atrás do oitavo.

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *